Empréstimo No Imposto De Renda – Quando Devo Declarar!

Empréstimo No Imposto De Renda

Realizou um empréstimo recentemente e não sabe ao certo como declará-lo no imposto de renda? Saiba que essa é uma dúvida comum da maioria das pessoas, afinal, é difícil definir quais são os itens que devem ser preenchidos e qual a forma correta de fazer isso sem se prejudicar no fim do processo.

 

 

Tópicos:

  • Quando devo declarar;
  • O que deve ser informado na declaração;
  • E se eu estiver com a conta corrente negativada;
  • Outras informações relevantes;
  • E se eu emprestei dinheiro a um parente ou amigo;
  • Por que devo declarar.

 

 

Por isso, para te ajudar nessa empreitada, iremos dar o passo-a-passo neste artigo, explicando de maneira clara o que você deve fazer caso esteja nessa situação. Lembre-se: todas as suas movimentações devem ser devidamente declaradas, portanto, se informar é a melhor saída para evitar problemas futuros.

 

 

Empréstimo No Imposto De Renda: Quando Devo Declarar?

Todos os empréstimos acima de R$ 5000,00 devem ser declarados no Imposto de Renda, para evitar qualquer tipo de problema com a Receita Federal. Como fazer isso?

 

 

Entre na aba Dívidas e Ônus Reais e faça o preenchimento. Mas atenção: essa aba serve apenas para os créditos consignados, empréstimos pessoais ou dívidas com o cheque especial.

 

 

No caso dos empréstimos que recebem bens como garantia, como é o caso da maioria dos financiamentos de veículos, a aba que deve ser preenchida é a de “Bens e Direitos”. Essa diferenciação é importante, já que será necessária para que a receita federal possa fazer a análise corretamente e devolver o valor que corresponde a ela.

 

 

O Que Deve Ser Informado Na Declaração?

Na aba “Dívidas e Ônus Reais”, é preciso preencher os campos presentes com: CPF ou CNPJ de quem realizou o empréstimo. Também será necessário especificar o tipo de credor. São essas as opções disponíveis:

 

 

11 – Estabelecimentos bancário comercial;

12 – Sociedades de crédito, financiamento e investimento;

13 – Outras pessoas jurídicas;

14 – Pessoas físicas;

15 – Empréstimos contraídos no exterior;

16 – Outras dívidas e ônus reais.

 

 

No campo sobre a especificação do tipo de credor, coloque a numeração correspondente. Por exemplo, se for um empréstimo realizado no banco, o código é o 11, se for por uma financeira o código é o 12 e assim por diante.

 

 

Até mesmo pessoas físicas entram na declaração, com o código 14. Ou seja, todo empréstimo, mesmo que seja através de um amigo ou parente, que ultrapassar o valor de R$ 5.000,00 deve ser declarado no Imposto de Renda.

 

 

E Se Eu Estiver Com A Conta Corrente Negativada?

Muita gente não sabe, mas se uma das contas estiver negativa no valor de R$5000,00 ou mais, essa dívida também deve ser declarada. A Receita Federal orienta que o preenchimento dessas informações é de suma importância para justificar patrimônios.

 

 

Outras Informações Relevantes

Para realizar a declaração, é preciso ter em mente mais algumas informações que são relevantes nestes casos. São elas:

 

 

  • Caso a dívida seja antiga, informe o valor que foi pago no ano anterior para que ele seja abatido do montante total.

 

  • Siga as informações que estão no extrato da dívida. Essa parte é bastante importante, porque se houver diferença de valores, o Imposto Declarado pode entrar na malha fina. Fique atento a este detalhe.

 

 

E Se Eu Emprestei Dinheiro A Um Parente Ou Amigo?

A regra de declaração vale também para quem emprestou uma quantia maior de R$ 5000,00 a algum parente ou amigo. Nesse caso, é preciso declarar os juros – caso eles sejam cobrados – e o valor que foi pago durante o ano.

 

 

É preciso preencher no campo de “Bens e Direito” o nome da pessoa a quem o dinheiro foi emprestado e o CPF. Caso o valor total já tenha sido pago, ele deverá constar no campo “Discriminação”.

 

 

Mas, quando o empréstimo ainda está em processo de pagamento, é preciso preencher outro campo, chamado “Situação”, onde será informado qual valor ainda está pendente.

 

 

Por Que Devo Declarar?

É importante realizar a declaração mesmo que o empréstimo seja de pessoa física para pessoa física, ou mesmo quando se trata de um financiamento. Isso porque a receita federal precisa ter acesso a todo tipo de rendimento ou dívida acima de R$ 5000,00.

 

 

Sendo lei, a não-declaração pode gerar problemas futuros, portanto, atente-se aos detalhes e tenha em mãos todo o extrato da negociação para que o preenchimento seja feito de forma adequada. Você acabou de ler o artigo: Como Declarar Um Empréstimo No Imposto De Renda.