Consolidação De Créditos – Como Conseguir E Qual Escolher!

Consolidação De Créditos

A consolidação de créditos é uma transação bastante utilizada por quem precisa quitar um empréstimo que está em atraso, por exemplo, e não dispõe deste dinheiro imediatamente.

 

 

Tópicos:

  • Como Conseguir
  • Quais São As Condições
  • Qual Escolher
  • Com Hipoteca
  • Sem Hipoteca
  • Conclusão

 

 

Nesses casos, muitas pessoas se perguntam o que fazer e como resolver a situação sem que fiquem endividadas ou que sejam acionadas pela justiça. Mas, o que significa consolidação de créditos?

 

 

De forma resumida e geral, trata-se de um novo empréstimo solicitado para a quitação do anterior, renegociado a dívida e aumentando o prazo de pagamento. Por exemplo: uma pessoa que tem um empréstimo de 30 meses.

 

 

Mas, já quitou 15, pode pedir um novo empréstimo para quitar as parcelas restantes e o saldo devedor, aumentando novamente para 30 meses no total. Ou seja, é uma forma de renegociar as dívidas e fazer com que o cliente não precise ter o nome negativado e nem precise passar por ações judiciais desnecessárias.

 

 

Porém, geralmente a consolidação exige que um bem seja dado como garantia em troca do novo empréstimo, o que faz com que esse tipo de atitude só seja viável para quem tem certeza que conseguirá quitar as parcelas sem atrasos.

 

 

Como Conseguir Uma Consolidação De Créditos?

A consolidação também é chamada de crédito unificado, justamente por unificar vários empréstimos em um só, fazendo com que o cliente pague apenas uma parcela individual, ao invés de pagar várias e ter dificuldades para quitar a dívida.

 

 

Para conseguir este tipo de acordo, é preciso ir ao banco munido com RG, CPF, comprovante de renda e de residência. Além dos documentos dos empréstimos anteriores – caso seja mais de um. É preciso falar diretamente com um atendente ou gerente do banco para que ele faça um acordo e unifique todos os empréstimos.

 

 

Quais São As Condições?

Antes de qualquer coisa, é preciso verificar se as parcelas unificadas irão caber no orçamento da família, para evitar novas inadimplências. Depois disso, um bem será dado como garantia, seja ele um imóvel ou um veículo.

 

 

Porém, é possível ter acesso a consolidação sem a hipoteca. Essa última opção é um pouco menos vantajosa no sentido financeiro, já que os prazos se tornam muito mais curtos para pagamento da dívida e as parcelas infinitamente maiores.

 

 

Qual Consolidação Eu Devo Escolher?

Se você está com dúvidas se deve realizar a consolidação com ou sem hipoteca, o ideal é procurar por um consultor financeiro que te ajuda nesta tarefa. Ele irá avaliar todo o orçamento familiar e poderá dizer qual a melhor decisão a se tomar. Vamos às vantagens e desvantagens de cada uma delas:

 

 

Com Hipoteca

A grande vantagem desse tipo de consolidação é que o valor a ser pago por mês será menor e os juros um pouco menos acentuados. Além disso, o prazo para quitação também aumenta consideravelmente.

 

 

Para quem tem mais de um imóvel no nome e precisa urgentemente de uma solução para os empréstimos, essa é a opção ideal. Também é indicada para quem tem certeza que irá conseguir arcar com parcelas e não terá maiores problemas em relação a isso. É preciso lembrar que caso o pagamento não ocorra, o bem poderá ser leiloado.

 

 

Sem Hipoteca

Nesse caso, a consolidação não envolve bens com garantias, o que é uma segurança a mais para o contratante. Porém, os juros são bem maiores e os prazos de pagamentos bem menores. Ou seja, para quem está realmente endividado, pode se tornar inviável esse tipo de consolidação.

 

 

Conclusão

Procure sempre a ajuda de consultores financeiros caso tenha dúvidas ou fale diretamente com o gerente do seu banco. Lembre- se sempre de usar o crédito com consciência, evitando que este tipo de situação ocorra novamente e causa maiores problemas.

 

 

Tenha em mente que as duas opções citadas devem ser seguidas a risca e não deve haver inadimplência, que poderia resultar em processos judiciais, causando ainda mais gastos e problemas para toda a família. Evite fazer novos empréstimos no período de pagamento da consolidação para manter o nome limpo e ter acesso aos créditos convencionais, como o cartão.